Geração 3D: o que podemos aprender com ela?

Conheça mais sobre como os profissionais 3D podem ser modelos para você

Já ouviu falar da geração 3D? São os que possuem dedicação, desprendimento e diferenciação. A geração que traz uma quantidade enorme de lições para a vida profissional e pessoal.

“Esse é outro nome para os Baby Boomers, os nascidos entre 1946 e 1964, que, a despeito da idade, possuem uma bagagem imensa de experiência, conhecimento técnico e humano, sabedoria, equilíbrio, bom senso e espírito empreendedor. São os modelos que os novos pioneiros devem ter como fonte de inspiração”, conta Penha Pereira, economista e Master Coach.

Pessoas da geração 3D têm uma grande bagagem de conhecimentos, são Mestres e, através de suas qualidades, possuem um arsenal enorme de lições a quem deseja ousar por caminhos novos e desconhecidos. Infelizmente, muitas corporações parecem não enxergar essas qualidades e o potencial de empreendimento que essas pessoas poderiam trazer para as Instituições.

Através de sua história e qualidades, a especialista afirma que é possível aprender diversas lições:

Lição 1: o empreendedor tem que ser dedicado a seu projeto, realizando-o com amor e fazendo com que ele seja transmitido! Quando há essa distribuição generosa, todos à volta do empreendedor são beneficiados e estimulados a replicarem o aprendizado! Uma ideia útil e transformadora precisa necessariamente ser colocada à disposição da comunidade para que haja efetivo desenvolvimento.

Lição 2: o empreendedor precisa entender que guardar para si seu projeto não transforma ninguém e desta forma seu objetivo de crescimento fica aquém do sonhado. O profissional que pretende criar um negócio que lida com pessoas precisa tomar cuidado com as abordagens, que será uma grande sacada para tornar fiel um cliente, por exemplo

Lição 3: o empreendedor precisa respeitar para se diferenciar dos demais, pois, quando uma pessoa se sente respeitada e acolhida, ela jamais deixará de procurar pelos serviços de quem a respeita e a entende.

Lição 4: o empreendedor não pode ter medo do medo. Ele existe para nos dar capacidade de dosar corretamente a busca de nossos sonhos. Deve aliar-se à paciência para saber aguardar o momento certo e ter sustentação para refazer etapas.

Lição 5: o empreendedor não pode agarrar-se ao que sabe e não pode ser ganancioso. Precisa cultivar a atitude do altruísmo quanto ao conhecimento, para que, ao passá-lo de forma transparente, crie condições de multiplicá-lo. Gerando valor agregado permitirá que pessoas ao recebê-lo possam ter novas ideias a respeito, lapidando-o e o tornando maior.

Lição 6: o profissional empreendedor de negócio próprio ou corporativo precisa ter hoje, além de suas habilidades técnicas, o que chamamos “soft skills”, ou seja, atitudes e comportamentos que façam com que o novo profissional esteja em harmonia com seu ambiente de trabalho, com as pessoas de seu convívio social (não somente no trabalho) e com o meio ambiente!

“Não existem pessoas ‘velhas’, existem profissionais de talento, dispostos a dar seu melhor para que as gerações que os seguem, entendam o que realmente leva uma pessoa a atingir o sucesso verdadeiro”, finaliza Penha.

Penha Pereira é economista, master Coach e gestora de carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support